Notícias


 

Empregos com carteira sobem para 1,5 milhão até julho

20/08/08 às 07:49

 

O número de empregos formais criados nos primeiros sete meses deste ano somou 1,56 milhão, segundo informou nesta terça-feira (19) o Ministério do Trabalho com base em dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Contra o mesmo período do ano passado, quando foram criadas 1,22 milhão de vagas, o crescimento foi de 27,9%. Somente em julho, foram contratados 203 mil trabalhadores formais - novo recorde para o período.

Além de ser novo recorde histórico para o período de janeiro a julho, superando a marca de 1,23 milhão de empregos com carteira assinada registrados de janeiro a julho de 2004 (recorde anterior), o número também se aproxima dos empregos criados em todo o ano passado (1,61 milhão de empregos com carteira assinada).

O Ministério do Trabalho notou que o crescimento do emprego formal neste ano, frente a 2007, está ligado ao aquecimento da economia brasileira, o que gera maior demanda por produtos e serviços. "Há investimentos muitos grandes sendo feitos em setores importantes do Brasil. A demanda continua em alta, mas não há falta de produtos", avaliou o ministro do Trabalho, Carlos Lupi.

Setores econômicos

O grande destaque na criação de empregos formais neste ano foi o setor de construção civil, que gerou a abertura de 232 mil vagas formais de janeiro a julho de 2008, contra 116 mil em igual período do ano passado. "Pelo efeito dos financiamentos que estão dando na compra da casa própria e, também, por causa do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), além de eventos privados grandes. A tendência é de continuar forte", disse Lupi.

A indústria de transformação, por sua vez, contratou 355 mil trabalhadores com carteira assinada nos sete primeiros meses deste ano, com aumento de 8,1% frente ao mesmo período do ano passado (328 mil vagas). No comércio, foram abertas 157 mil vagas até julho, com elevação de 25,9% frente ao mesmo período de 2007 (124 mil empregos formais).

O setor de serviços também teve um bom desempenho de janeiro a julho de 2008, com 490 mil empregos formais criado, um aumento de 34% frente ao mesmo período do ano passado (365 mil vagas abertas). Já a agricultura contratou 271 mil nos sete primeiros meses de 2008, contra 246 mil em igual período do ano passado.

Expectativa para 2008

Para todo o ano de 2008, o ministro Lupi manteve a estimativa de criação de dois milhões de vagas com carteira assinada, superando o recorde anterior registrado no ano de 2007 de 1,61 milhão de empregos formais.

"Tivemos um começo de ano muito forte. Acho que [o mercado de trabalho] vai continuar muito aquecido por vários fatores. Principalmente pela recuperação do poder de compra do trabalhador brasileiro. Isso faz o dinheiro circular muito. a política do salário mínimo é um efeito cascata em todo o sistema do poder aquisitivo", disse o ministro Lupi a jornalistas.

G1

Home | Voltar



Nos acompanhe nas Redes Sociais

 

 

Sistema FIEMT / IEL - Instituto Euvaldo Lodi - Mato Grosso
Av. Historiador Rubens de Mendonça, 4193 - Centro Político Administrativo
Cuiabá-MT - CEP: 78049-940 - Telefone: (65) 3611-1514 - FAX: (65) 3644-1757