Notícias


 

Mercado vê inflação em alta e confirma previsão de aumento de juros

14/04/08 às 09:15

 

Após a divulgação do resultado do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de março na semana passada, que avançou 0,48%, o maior para este mês desde 2005, o mercado financeiro subiu a sua estimativa para a inflação de todo o ano de 2008. Segundo o relatório de mercado, também conhecido como Focus, documento divulgado nesta segunda-feira (14) pelo BC, a projeção do mercado para o IPCA deste ano passou de 4,50% para 4,66%. Para 2009, a expectativa subiu de 4,30% para 4,40%.

O BC define a taxa de juros básica da economia brasileira tendo por base as metas de inflação pré-estabelecidas pelo Conselho Monetário Nacional (CMN). Para este ano e para 2009, a meta central de inflação é de 4,5%, com intervalo de tolerância de dois pontos percentuais para cima ou para baixo. Deste modo, o IPCA pode, teoricamente, ficar entre 2,5% e 6,5% sem que a meta seja descumprida. Se o BC julga que a inflação está subindo muito, acima da trajetória das metas de inflação, pode elevar os juros.

Juros

Com a subida da inflação, o mercado financeiro confirmou a sua estimativa de que os juros deverão voltar a subir nesta semana. A expectativa do mercado financeiro foi mantida em uma elevação de 0,25 ponto percentual, de modo que a taxa passe de 11,25% para 11,50% ao ano nesta semana. A reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), colegiado do BC responsável pela definição dos juros, acontece nas próximas terça e quarta-feiras (15 e 16).

Já na reunião do Copom de junho, ainda segundo o mercado financeiro, a taxa de juros seria elevada novamente, agora para 12% ao ano, ou seja, um aumento de 0,50 ponto percentual. Até o momento, o mercado previa uma elevação de 0,25 ponto percentual em junho. Já em julho, subiria novamente 0,50 ponto percentual, para 12,50% ao ano e, em outubro, seria elevada para 12,75% ao ano - valor no qual fecharia 2008. Anteriormente, o mercado previa que os juros fechariam este ano em 12,50% ao ano. Para o fim de 2009, a estimativa do mercado para os juros foi mantida em 11,25% ao ano.

Dólar

A expectativa do mercado financeiro para a taxa de câmbio, que em torno de R$ 1,7 por dólar já oscila no seu menor patamar dos últimos nove anos, é de que ela termine este ano em R$ 1,75 - como já estava projetado anteriormente. No início deste ano, o mercado acreditava que o dólar terminaria 2008 em R$ 1,80. Para o fim de 2009, a projeção dos analistas ficou estável em R$ 1,85 por dólar.

PIB

Os analistas de mercado ouvidos pelo Banco Central elevaram a sua estimativa de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro de 4,60% para 4,70% para o ano de 2008. Já para 2009, a projeção do mercado para o crescimento econômico foi mantida estável em 4%.

Balança comercial e investimentos diretos

A expectativa do mercado financeiro para o saldo da balança comercial (exportações menos importações) deste ano continua caindo. Para o superávit da balança comercial de 2008, a projeção dos analistas do mercado financeiro caiu de US$ 26 bilhões, na semana retrasada, para US$ 25,3 bilhões na última semana.

No início deste ano, por exemplo, os analistas ouvidos pelo Banco Central projetavam superávit de US$ 31,9 bilhões para a balança comercial em 2008. Para o ano de 2009, a estimativa para o saldo comercial caiu de US$ 20 bilhões para US$ 19,5 bilhões.

No caso dos investimentos estrangeiros diretos, a expectativa do mercado financeiro para o ingresso de 2008 permaneceu estável em US$ 30 bilhões na última semana. Para 2009, a projeção subiu de US$ 26,7 bilhões para US$ 27 bilhões.

G1

Home | Voltar



Nos acompanhe nas Redes Sociais

 

 

Sistema FIEMT / IEL - Instituto Euvaldo Lodi - Mato Grosso
Av. Historiador Rubens de Mendonça, 4193 - Centro Político Administrativo
Cuiabá-MT - CEP: 78049-940 - Telefone: (65) 3611-1514 - FAX: (65) 3644-1757